quinta-feira, janeiro 19, 2006

a racionalidade e o amor (em francês)

antecipa os tropegos ébrios do espírito
e vai na contramão de todo resto.
sai a destrinchar conceitos,
esmiuçar possibilidades,

e esqueçe que o encanto,
não pode ser provocado.


não é para admirar,
e sim para sentir, porra.

2 comentários:

ledinha disse...

é isso ae!
bjos

Calças... disse...

te sinto.