quinta-feira, março 13, 2008

anda

quando fui embora
eu sequer pensava em você.
outra vez,
porque era apenas o sangue que pulsava
tantas e tantas vezes (você)
que não eram nem palavras.

não, eu não pensava em você
eu andava e as vozes que queriam te alcançar
formavam um coro em unissono
que eu decidi, a tempo, chamar de silêncio.

eu te tinha e eu te era
no fundo do espaço e do tempo
porque nada mais importava,
como agora nada importa.

Um comentário:

peixe disse...

eu te amo cara, quero morrer perto da praia e queria vc por lá. bj