terça-feira, março 25, 2008

calças

você existe e eu existo. juro.
o que não juro é nos conhecermos.
sei que nos pressintimos,
a cada palavra errada,
e cada passo dado,
na direção contrária.

bem dentro da carne
(sem carne alguma
e sangue algum).
no fundo do pensamento
(sem conceitos
e sem devaneios).

pra lá da matéria,
mais longe que o tempo,
eu sou, você é.

nunca nos encontramos,
talvez sequer nos encontremos.
no entanto, ainda a vida é possível,
pois apesar de tudo,
(do certo e do absurdo),
ainda nos pressentimos.

Um comentário:

Calças... disse...

não entendi...