segunda-feira, março 24, 2008

ser

é através dos meus olhos
o mundo.
através da linguagem
o que me é.
com as nossas palavras
as coisas
nunca absolutas.
com as mesmas palavras
o murmúrio
o som
o sim.
mas nunca o silêncio do silêncio.
falar para alcançar o pleno
do só no silêncio.
perder-se na transitoriedade das palavras,
perder-se em ser.
pois no início era o caos
e no fim era o silêncio.

Um comentário:

peixe disse...

depois do silêncio é a pergunta? (mas depois não tem nada, é tudo essa necessidade de ter depois) te amo bichinha.