quarta-feira, junho 07, 2006

o que adianta?

queria escrever aqui com palavras de sangue do ódio da minha neurose. tento apenas ser o melhor de mim, tentanto não soar antagônico. e àqueles todos que me criticam seriamente chamo-os de alma pequena. volto pra casa a pé. passo ante passo testo minha força. na rua, como uma lunática, proclamo um discurso inflamado e egocentrico. passo ante passo sinto dor. marasmo de carência. nojenta, porque não foi pra casa mais cedo? ecoa na minha mente. ecoam as aulas da semana, os descrentes que aqui leram palavras tão baratas. ecoa que sou tão barata. só destoa o amor, que não existe. o alcool, a dor, a cumplicidade. palavras sem vontade. de ninguém pra ninguém.

2 comentários:

peixe disse...

não sei fazer um retrato tão bem de mim. assim. ego por ego. vazio.

superhomem-mimado disse...

deixa eu dizer que te amo? de repente adianta um pouco. pra mim.