quinta-feira, setembro 11, 2008

deus

eu não consigo mais escrever.
vai ver é porque parei de acreditar em deus.
não em deus-deus, esse velho barbudo que aparece a cada esquina.
outro deus...
o meu deus.

e na verdade ainda acredito nele,
acredito piamente.
o problema é que não acredito mais nele dentro de mim.
não imagino a mão dele no meu ombro como eu costumava.

mas deixa eu te falar um pouco do meu deus.
o meu deus é o silêncio.
o meu deus é a intuição,
o pressentimento.
o meu deus é o abismo entre a vida,
e a vida vazia.
o meu deus é a música,
é o amor que não sabe que é o amor.
ninguém pode (consegue, ou quer) falar do meu deus.
(nem eu).
o meu deus é a surpreendente alegria,
de quando tudo está suspenso,
funcionando bem, e sem peso,
na mais completa harmonia.
esse deus também é a escuridão,
(pois logo que se vê que é um deus sem culpa).
ele não pensa, porque não precisa pensar.
ele não tem metafísica, porque é metafísica.
e se esse deus tivesse forma,
então ele seria uma pedra.
não teria compaixão, taopouco piedade,
(com essa raça tão gasta que é a raça dos homens).
seria apenas uma pedra.

e se ele fosse uma palavra,
ele seria é.
seria é.
seria.

mas é.

Um comentário:

juba disse...

o aninha, essas coisas que vem de você são tão bonitas