segunda-feira, junho 08, 2009

marmota

num vazio de não encontro me esgueiro.
até saio dessa toca, ponho a cabeça para fora,
e vejo como lá fora faz frio.
ouço o barulho das pessoas que conversam para além da minha janela,
por vezes ouço a chuva
e quando estou num bom dia posso até ouvir o sol.
com esse lá fora não tenho nada,
dele desisti, dele não existo.
dentro dessa casa é escuro e é frio.
nela eu resisto.

Um comentário:

Maria Negrão disse...

aninha...