terça-feira, fevereiro 28, 2006

caledoscópio

Eu queria gravar as imagens que não saem do meu cérebro em folhas sem culpa, sem testemunhas dos meus inesperados crimes e das minhas fraquezas. Quando eu fecho os olhos e sinto prazer, nas dobras das memórias, e eu sinto prazer sob esse tédio imenso. As vezes penso tão rápido tentando ser sincera ao máximo, como se mentiras fossem como cascas de cebola, e então nada mais faz sentido e eu fico pairando num limbo silencioso e sem razão, que eles chamam de loucura.

Um comentário:

Duda disse...

mentiras sao como cebolas, vem em camadas... as mais profundas sao as nossas pra nos mesmos, e sao as mais faceis de passar por cima, mas as que mens passamos.... mas foda, a quem queremos enganar? de vez em quando caio a acreditar q a loucura seria boa, mas nao faz sentido isso, acho q é aloucura pensando sobre ela esma... ta, to so falando merda, ja percebi!