segunda-feira, novembro 06, 2006

caverna

quase que pessoa,
tenho em mim todos os medos do mundo.
estando ali, e não estando,
enquanto você fala, eu ouço.
é um leve desconforto de não ter coragem de enfim,
ser-se assim.

nem coragem de olhar os olhos,
de aninhar braços,
de ouvir um não.

de todos os meus medos,
o pior.
menina, você é melhor do que eu.

3 comentários:

aninha disse...

mas eu ainda sou mais ingênua

juba disse...

melhor não, melhor não.

aninha disse...

ela é sim, certeza