quarta-feira, novembro 01, 2006

miojo

os dois pratos de macarrão pronto em cima da mesa, tão assim, calados, sozinhos, cada um olhando prum lado. (na cozinha branquidão das sete da manhã). olhando pela janela com paciência uma espera a outra, nem se preocupando se o macarrão vai esfriar, enquanto apura os mínimos gestos do entrevir, as pernas, e os braços. sabendo que cada segundo gasto daquele ritual é um instante inteiro. a outra senta-se a sua frente, parcimoniosamente começam a comer, concentradas, cada uma tão só quanto seu prato. logo sentem-se mais a vontade e começam a discutir dos fatos da vida: ainda tão infímas mesmo em relação ao barulho dos carros que passam, mas, mesmo assim, tão imenso quanto pode ser a vida enfim. os dois pratos vazios anunciam a hora da partida. despedida de entrelinhas tanto quanto o é, e o foi, para o resto de seus dias.

Um comentário:

sorô disse...

delicado e lindo.