domingo, abril 22, 2007

juventude viada

-todos os dias o mesmo oco que é ser. fome maldita que estraçalha os melhores colchões, a melhor música fudida. será uma expressão incontinente de um desejo fantástico e (até) mórbido? fome essa que não se basta em nada. alimenta-se do intante e perde-se no momento.
ah! esses dias em que alberto caeiro é precioso, pra livrar-nos desses maldito martírio de Ser. muito difícil viver em paz nessa panqueca de ecos freudianos, niilistas, moralistas, pugilistas; transformaram existir numa escolha de vida. decidiram por quais vias devemos testar nossos passos antes de andar. eu só quero andar, e gritar, e esquecer toda essa porcaria sem sentido que andam ensinando por aí. enfie kant no cu, cuspa em nietzsche, ponha o dedo no nariz de adorno! cansei dessa briga efêmera de grandes autores anônimos, de pequeninas letras xerocadas. eu quero ver o mar. em paz. e formular minhas próprias teorias.
-é cara!

Um comentário:

ledinha disse...

ok..ok
coloca uma crise na leda
de porque diabos ela faz faculdade de filsofia!?!?
bjos