segunda-feira, dezembro 11, 2006

aleatória

são traços de se encontrar que me trazem felicidade, melhor ainda um tipo de beatitude, espalhados pelo quarto. mamilos vinhos e charles mingus. se eu acender um fósforo e olhar meus olhos dentro do azul da chama, é que meus olhos são azuis, e de repente tudo é o samba que toca, e dá vontade de por vestido. to sambando baby, com as mãozinhas rídiculas em movimentos rídiculos, to valsando baby, como não danço, e como o faço sozinha. mas a música já mudou e agora não dá mais pra pensar nessa batida de violão. agora é tudo euforia bruta. chuva suor e cerveja.

Um comentário:

caetano veloso disse...

não se perca de mim, não se esqueça de mim, não desapareça