terça-feira, dezembro 05, 2006

radioplex

carros passando
homens-passarinho,
putas se dando,
e eu..?
só existo de fininho.

então é que fico pensando,
e invento musas e poetas:
faço-os meus enquanto ando.

essas vidas que não são minhas,
se escrevem pelos meus delírios,
retratos vagos de traços e linhas,
anônimos por definição.

borrão inadequado,
por persistir nessa cidade lúcida,
mais de mil léguas cansadas,
mais um grito rouco na esquina.

e se é pouco,
o que deles sinto.
talvez tudo seja ainda,
é por isso que minto.

2 comentários:

juruju disse...

mente nã.

juruju disse...

não*