sexta-feira, abril 21, 2006

in the cold cold night'

me deu uma vontade louca de rimar,
fazer uns sonetos parnasianos,
construir uns desenhos geométricos.
essas coisas com fórmula,
tão vivenciadas,
que são até postulados.

rimar é fácil, e propício,
eu gosto do som que faz,
que faz, me sentir completa.

entretanto bilac é um merda,
e o ritmo... ah, o ritmo!
o que abate, e transtorna, e constrói,
os eu'líricos..
é meio que alheio a construções,
tá antes no orgasmo da dor.
dor e sexo, dor e sexo.
a arte é o orgasmo da dor.

4 comentários:

julia só rima com agulha disse...

aaaaaaaaah rimar!
rimar, rimar, rimar!
ritmar!
cara isso é tão bom.
às vezes é preciso chutar o balde das grandes construções e só ouvir o sooom, o som da palavra não a semântica delas. o sooom. o sooooooooooooooooooooooom.
deixar o corpo todo na ritmia dos sentidos. esquecer um pouco o pensamento puro que não tem imagens.

plano. e em sintonia.

outras vezes, precisamos mesmo é rimar aves com cadeiras.

peixe disse...

por motivos maiores mudei o link do blog:

http://www.eu-camelo.blogspot.com/

beijos!

Anônimo disse...

I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
»

clara disse...

passou e a gente nem percebeu