terça-feira, maio 02, 2006

espontâneo

" Quem tem piedade de nós? Somos uns abandonados? uns entregues ao desespero? Não, tem que haver um consolo possível. Juro: tem que haver. Eu não tenho é coragem de dizer a verdade que nós sabemos. Há palavras proibidas.
Mas eu denuncio. Denuncio nossa fraqueza, denuncio o horror alucinante de morrer - e respondo a toda essa infâmia com - exatamente isso que vai ficar aqui escrito - e respondo a toda essa infâmia com a alegria. "

de água viva.

esse livro:
entrei num transe.
meio fugaz - mas enlouqueci - por breves momentos.
mudei, uma crisálida enferrujada.
leiam.

3 comentários:

peixe disse...

será que agora você me sente?.
é essa asensação. íncrivel.
pós-clarice.

como alguém ainda não leu?

aninha disse...

sim... durante o dia....
fui te entendendo melhor.

é, lendo, não conseguia parar de me perguntar isso. como alguém ainda não leu... é quase como um orgasmo sabe... e cansa, e transcende... transcende..

puxa vida.

:: fabricio mardegan :: disse...

há vários consolos possíveis.
alguns duradouros, outros efêmeros...
escolha o seu!
bjs!
=)