quinta-feira, setembro 07, 2006

liberdade das coisas

calculo pro todo um denominador,
dentro de cada coisa,
ao passo das transcendências possíveis,
há a liberdade (de si).
para a dor, há a cura,
(branco, preto, e cinza)
pro vazio, a loucura.
se trata da liberdade das coisas,
todas elas tem a sua,
(é só olhar fundo o bastante).
todo instante tem em si,
o completo em potencial.

5 comentários:

aninha disse...

- lê isso aqui, você não vai entender nada.
- mas porque eu não vou entendar nada? você acha que eu sou burra?
- ninguém vai entender nada, esse troço tá muito mal escrito.

cante comigo disse...

só porque é o meu preferido daqui!
sou fã dos seus textos
e esse foi um daqueles que me derrubou!
que eu até comentei pra minha mãe
"você escreveu algo que eu sinto que já pensei sobre" sabe como é?

e ela até me falou do tal consciente coletivo acho...

e escreveu de um jeito lindo
me fascinou

=*

aninha disse...

quem é cante comigo?

leonardo marona disse...

vc tem razão, aninha, esse é o melhor texto desse site. esse ainda vai ser antológico um dia.

aninha disse...

que engraçados vocês..