domingo, março 22, 2009

cinza tu

os dias passam,
inevitavelmente.

os dias passam por mim.
sinto meu corpo e ele está quente
e está frio,
como o dia que me trás o sol sem calor do outono.

as sombras cinzas desses dias.
o que vejo e o que imagino ver,
imaginando imaginar.
mãos que se tocam,
chuva fina no asfalto.

toco o violão e deixo de ser,
transformo-me em vento pela voz,
e esqueço essa tristeza opaca.

o outono chegou,
as folhas que caem tem o cheiro acre da morte.

Um comentário:

carina disse...

total