segunda-feira, abril 19, 2010

si

você me ensinou o silêncio.
e eu sempre disse que esse era o nosso cheio.
a ausência de palavras como desculpa
para nos encontrar em lugar.

quando tudo acabou meus olhos continuaram mudos,
mas os braços e bocas não pararam de perguntar.
que tola fui eu,
pensando que sua boca muda
ia me explicar.

2 comentários:

Bernardo Gonzalez disse...

que horror!

Anônimo disse...

eu gosto do silêncio.