segunda-feira, julho 20, 2009

cantar

os mares que vi entrando no reino silencioso do teu cheiro.
o som das matas a me acompanhar o tejo,
olhar de caça, mão de correnteza.

assim foi o nosso dia perdido no tempo
como enxergar as escuras energias transitando entre nossos corpos,
imagens que se prendem à retina,
e vontades soltas sob a língua.

sem lembranças de passado ou planos de futuro
te olho assim
como o mar me olha
perfeito no seu tempo,
como um momento de grande amor.

2 comentários:

caetano veloso disse...

Beira de mar, beira de mar
Beira de mar é na América do Sul
O selvagem levanta o braço
Abre a mão e tira um caju
Um momento de grande amor
De grande amor

Copacabana, Copacabana
Louca, papel e completamente louca
A menina muito contente
Toca a Coca-cola na boca
Um momento de puro amor
De puro amor

silvia disse...

De repente, você faz o amor parecer palatável. rejuvenesce o verbo e potencializa a mão da correnteza. Que delícia!